TÉCNICAS DE TEATRO CONTEMPORÂNEO PARA ATORES E DIRETORES

“A ILUSÃO QUE PROCURAMOS CRIAR NÃO VERSARÁ SOBRE A MAIOR  OU MENOR VEROSSIMILHANÇA DA AÇÃO MAIS SOBRE A FORCA COMUNICATIVA E REALIDADE DESTA AÇÃO.”  ANTONIN ARTAUD

 

Com Jadranka Andjelic, diretora de teatro

12, 13 e 14 de JULHO / 2019

Sexta: 17 às 21hs,  Sábado e Domingo: 10 às 14hs

LOCAL: ESPAÇO SEQUÊNCIA, Rua Campos da Paz 105, Rio Comprido

CONTRIBUIÇÃO: $R 110,00

Trabalho na oficina é focado nas técnicas de teatro contemporâneo, introduzindo treinamento do ator e diferentes exercícios para desenvolver sua consciência corporal e capacidade de expressar. Procurando perceber quais são as características de uma “ação real”. Introduz os princípios de montagem na criação de uma dramaturgia cênica.

A oficina apresenta várias possibilidades na construção ou criação de um espetáculo, através de improvisações corporais e vocais.  O trabalho de voz na oficina é baseado no corpo como ressonante e estimula os atores a desenvolverem “diferentes vozes”. Investigar o texto como uma melodia e sua característica dinâmica (ritmo e tempo).

instragram logo

 

Jadranka Andjelic é diretora sérvia radicada no Brasil desde 2008. Vinda da tradição teatral do Leste Europeu e pesquisas da antropologia teatral com o ODIN Teatro e Torgeir Wethal (1990–1994) e na ISTA – International School of Theatre Antropology de Eugenio Barba, em 1996 e 1998. Graduada pela Academia Artes Dramáticas em Belgrado. Fundadora de Teatro DAH – Centro de Pesquisas Teatrais na Sérvia, 1991. Recipiente de ARTSLINK Fellowship em 1998, Nova York. Eugênio Barba dividiu o Prêmio Luigi Pirandello Internacional Prize 1997 com ela e Dijana Milosevic/DAH Teatro. Recebeu Otto Renne Castillo Award – New York 2007, Prêmio de ERSTE Fundation (Europa) pelo espetáculo In/Visible City, 2009.

Apresentou seu trabalho em turnês pela Europa, Groenlândia, Marrocos, Mongólia, Inglaterra, Nova Zelândia, Singapura e EUA. Em 2006 fez parte do ECUM no Rio de Janeiro e Belo Horizonte. No Brasil dirigiu: MEMÓRIAS DO PEQUENO CIRCO/ 2014. CATADORES DE SONHOS /2011 (Prêmio Myriam Muniz 2011 para circulação), CIDADE IN/VISÍVEL, Rio de Janeiro, 2010 (Prêmio Myriam Muniz 2009); Conduziu o Projeto de pesquisas cênicas – IMERSÕES, com grupo Sala Preta da Barra Mansa 2013 – 2015. DIRETORA ARTÍSTICA: Academia Móvel de Artes Cênicas, Sérvia/Holanda, 2007/2008; Curadora do Festival INFANT 2009 e 2010 na Sérvia; Diretora geral e curadora do MULTICIDADE- FESTIVAL INTERNACIONAL DE MULHERES NAS ARTES CÊNICAS 2015 e 2018 no Rio de Janeiro.

INSCREVA-SE: