E S T R A N H O

ESTREIA 5 DE NOVEMBRO,  APRESENTAÇÕES 12, 19 e 26 DE NOVEMBRO 2019

TERÇAS FEIRAS, ÀS 20H NO TEATRO LAURA ALVIM – IPANEMA

ESTRANHO é um espetáculo teatral inédito que integra audiovisual.

Uma montagem que carrega afeto e encantamento revelando o delicado, poético e intenso mundo de Gan. O personagem em seu sofrimento psíquico tangencia o amor, seus sonhos, as partidas, o isolamento e a dor do vazio. Em busca de superação e em auto-exílio Gan segue visitando lugares. Em sua memória alterna entre horror e alegria, entre o canto dos frutos e um fruto estranho. Cria um mundo virtual, vivido e experimentado na mais alta sensibilidade e potência criativa.

E S T R A N H O pode ser visto como um espelho dos conflitos internos de todos nós – nossas ilhas, nossos desertos…Uma reflexão sobre o conceito de “estranho” e a reverberação da exclusão do outro sob o estigma da loucura.

Como seria ocupar o lugar deste outro? Vestir a pele deste outro?

O conto FRUTO ESTRANHO de Eveline Costa é o ponto de partida e uma inspiração para a criação da performance ESTRANHO. Seu texto pós-moderno carrega um humor sutil do delicado mundo de Gan, que apresenta surtos serenos de alucinação. Diz-se filho de um executivo, foi marcado pelo suicídio da mãe que se enforcou logo após sair do apartamento do filho. O funeral da mãe provoca nele uma ruptura, e a partir deste traço em sua vida, ele pinta seu rosto para nunca mais ver seu pai e veste-se com o kimono da mãe.

A encenação se apoia num ambiente imagético e sonoro que servem de plataforma para as projeções mentais de Gan, que “opera seus pensamentos” e modifica o cenário (físico e
mental) através de vídeo projeções, objetos, cores, texturas. O audiovisual dá suporte às visões criadas pelo personagem que desenvolve um diálogo becketiano com ele mesmo, um personagem que se desloca por suas ilhas internas, buscando proteger-se de si mesmo e do vazio de experiências. Atuando ao som de óperas de Giuseppe Verdi, do  compositor Frédéric Chopin, do Johannes Brahms, sobre vozes rasgadas de cantoras negras americanas do século XX, como Nina Simone, atravessado por sonoridades contemporâneas de música eletrônica.

SEJA APOIADOR >

Performer: Mateus Tiburi

Dramaturgia e Direção:  Eveline Costa

A partir do conto Fruto Estranho de Eveline Costa e fragmentos de Pascal Mercier

Participação em vídeo: Emilie Sugai

Colaboração Direção:  Jadranka Andjelic

Audiovisual, Cenário e Figurinos: Eveline Costa

Kimono: Jadranka Andjelic

Introdução ao Butoh:  Emilie Sugai

Iluminação: Renato Machado

Fotografia: Eliane Band e Renato Mangolin

Projeto gráfico: Pablito Kucarz

Assistente de Audiovisual: Otávio Schocair

Assistente de Produção: Julia Teixeira

Assessoria de Comunicação: LEAD Comunicação / Flávia Tenório

Redes sociais: Mário Camelo

Produção e Realização: Sequência Filmes, Músicas e Cênicas

Estranho FOTOS

ESTRANHO_Projeto